Sejam bem vindos ao meu blog

Aqui pretendo editar todos os tipos de conteúdo que tenham haver com : mãe, criança e aprendizado.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

O choro do bebê e as causas mais frequentes...

O bebê não chora para fazer malcriação, mas para nos revelar que alguma coisa o desagrada ou maltrata. A criança chora porque precisa chorar. A criança deve chorar dentro de suas necessidades. Não é aconselhável deixar o bebê chorar desesperadamente por muito tempo.

O 1º choro: Ocorre no momento do parto, forte e ativo. Indica a necessidade de remover as secreções. O bebê chora pela diferença de temperatura e pelo primeiro movimento respiratório, adaptando-se dessa maneira á vida fora do calor do útero de sua mãe.
Choro de fome ou sede: Dá-se pelo menos 1h antes da mamada; a criança fecha os olhos e movimenta os pés como se estivesse pedalando uma bicicleta, grita, chupa as mãos. Representa metade dos casos de choro no 1º mês e vai diminuindo até 30% no 6º mês. Resolve-se com maior cuidado na alimentação.
Choro de Cólica: É muito comum nas primeiras semanas de vida. A criança se estica, fica muito vermelha e chora com vigor. O choro de cólica é cíclico, vindo e desaparecendo.

Especificando as causas:

Fome: Logo que nasce a criança costuma ter muita fome e mama ao seio com grande frequência, cerca de 10 a 12 vezes por dia. A mamãe pode pensar que o seu leite é fraco e cometer o erro de complementá-lo com a mamadeira. A mãe e o pai devem compreender que o choro faz parte da amamentação, ajudando inclusive a desencadear o feflexo de produção de leite.
Sede: O leite materno elimina a fome e a sede ao mesmo tempo. Se o bebê mama com frequência o suficiente e está aumentando de peso, não precisa de suplementação de água. No caso da alimentação artificial, deve-se oferecer nos intervalos água filtrada e fervida.
Umidade:Evacuação e emissão de urina, retidas pela fralda, afligem muito os bebês, bastando mudar a fralda para sossegá-los.
Calor e frio:Quarto mal ventilado, janelas fechadas, roupas grossas e apertadas são também motivo de choro. O frio excessivo, em crianças mal agasalhadas, em dias úmidos, chuvosos, igualmente maltrata.
Posição:Em certas ocasiões é suficiente para aquietá-los mudar de posição, fazendo variar de dorsal para lateral, oblíqua. . Não deve ser utilizado o decúbito ventral( bebê deitado de barriga para baixo), pois tem-se evidenciado um maior número de casos de morte súbita nos bebês que dormem nesta posição.
Cólicas:As cólicas são frequentes, provocando dores e choro forte.
Plurido: É o nome técnico de coceira, observada principalmente nas brotoejas consequentes ao calor intenso.
Nervosismo:  Quando a criança chora, sem entretanto, se conseguir identificar uma causa aparente, pode-se estar diante de um distúrbio de comportamento. Nesse caso é preciso ter muita disciplina, método, horário, silêncio e penumbra. Na maioria das vezes até a chupeta resolve a situação.
Dor de ouvido:A otite unilateral ou bilateral deve ser pesquisada. Em certos casos, ela pode se manifestar mesmo sem resfriados. Pode ser consequente em crianças com dificuldade para pegar no sono.

Fonte: Livro: A vida do bebê
Dr. Rinaldo De Lamare

Nenhum comentário:

Postar um comentário